HISTÓRICO

SE A HISTÓRIA DO RÁDIO TEM UMA VOZ, ESSA VOZ É ROBERTO TOLEDO

Forte, imorredouro, versátil, inovador, é assim que se mantém até hoje o rádio em Rio Preto, cidade quente, quentíssima, céu azul permanente e povo simpático, encaixada nos trilhos progressistas do Noroeste Paulista.

Estilo e inspiração foram se renovando ao longo de oito décadas desde 1935 e mantiveram firme e forte o espírito radiofônico. A partir de um estúdio precário com som estridente na década de 1930, esse sistema de comunicação evoluiu, acompanhando a modernidade dos tempos, transitando por todas as classes sociais, governos e ideologias e absorvendo as descobertas tecnológicas da comunicação.

Tudo começou com um dentista chamado Raul Silva, homem à frente de seu tempo que convenceu empresários de uma associação comercial a fazerem uma vaquinha para comprar equipamentos de som e de transmissão. Assim nasceu a PRB-8, a primeira emissora de rádio de Rio Preto.

O rádio de modo geral, em nível de mundo, conserva o posto de mídia mais presente na vida da população, de qualquer classe social e em qualquer parte do mundo, e com a vantagem de seguir em frente absorvendo as novidades que vão surgindo pelo caminho, como streaming, podcast etc., até chegar ao rádio com imagem. Isso só faz aumentar o seu poder de penetração, principalmente em um país de sugestivo analfabetismo, ou seja, com 11 milhões de pessoas analfabetas em uma população de 213 milhões de pessoas, segundo o levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) até maio de 2021.

Na verdade, em um país de analfabetos, mesmo quem frequentou escolas tem preguiça de ler e de interpretar. Então é aí que entra o rádio, um meio fácil, enxuto e com um locutor de voz harmoniosa dando o seu recado. O roceiro não precisa largar a enxada para ouvir a notícia; a dona de casa continua esfregando a roupa suja da família; e o executivo se acomoda no seu carro para ouvir o noticiário. Estima-se que hoje 98% dos brasileiros têm acesso a rádio. Assim, mesmo onde a TV não chega, o rádio chega. É a máquina mais popular para disseminar informação e diversão.

O LIVRO

“Roberto Toledo nas ondas do rádio” não é uma obra de ficção. Considerado um dos mais populares e importantes radialistas da história do rádio de São José do Rio Preto, Toledo foi escolhido para ancorar a linha narrativa do livro porque, mesmo tendo iniciado sua carreira profissional no rádio em 1964, 29 anos após a primeira rádio da cidade, a PRB-8 Rádio Rio Preto, ter entrado no ar, conviveu com os principais personagens da história desse meio de comunicação na cidade. Além disso, é o único remanescente da “velha guarda” em atividade.